Ilê Axé Cultural Assobecaty

Ilê Axé Cultural Assobecaty

E_mail: assobecaty@hotmail.com ou carmenpsico8@gmail.com
Fone: (51) 30556655 e (51) 81810404

Endereço: Rua Wenceslau Fontoura n. 226
Jardim Santa Rita Guaíba, RS

Palavras-chave: Ponto de Cultura de Matriz Africana, Pontão de Cultura, Resgate Histórico, Exposição Ilê Ifé

Você sabia que o 1º PONTO DE CULTURA DE MATRIZ AFRICANA, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, está localizado na cidade de Guaíba ? A casa tradicional, Associação Beneficente Cultural Africana Templo de Yemanjá – ASSOBECATY fundada por Mãe Quina de Yemanjá, em 1943. Hoje é uma referência cultural de Matriz Africana do estado do Rio Grande do Sul. Um ponto de cultura que enfatiza a música, teatro, dança, cinema, fotografia, literatura, exposições. vídeo, arte, inclusão digital, e culinária.

Kanhgág Jãre

Kanhgág Jãre

E-mail: institutokaingang@gmail.com

Terra Indígena Serrinha
Alto Recreio
Ronda Alta – RS, CEP: 99670-000

Palavras-chave: Patrimônio Material e Imaterial, Cultura Indígena, Tradição Oral, Povo Kaingang

Fundada em 2002 a organização indígena Instituto Kaingáng – INKA tem por missão a revitalização, proteção e conservação da cultura junto ao Povo Indígena Kaingáng, mediante a intrínseca relação entre Cultura e Educação. Em 2005 o INKA aprovou no âmbito do Ministério da Cultura, o projeto Ponto de Cultura “Centro Cultural Kanhgág Jãre”, iniciativa que desenvolve desde 2006 junto à comunidade Kaingáng da Terra Indígena Serrinha, Município de Ronda Alta/RS, direcionado ao fortalecimento, valorização e divulgação da cultura do Povo Kaingáng na região. No Ponto de Cultura são promovidas ações de valorização da cultura e língua Kaingáng e conhecimentos tradicionais dos Kanhgág Kófa/idosos Kaingáng, formação de capacidades tendo em vista melhoria da qualidade de vida, bem como a disponibilização de espaço de visitação permanente para socialização da cultura Kaingáng por meio de exposições, apresentações e comercialização de artesanato indígena.

Território Ilhota

Território Ilhota

E-mail: angelicacomunicar@hotmail.com 

Avenida Ipiranga, 752
Porto Alegre

Palavras-chave: Luta, Território, Pertencimento Social, Direito à cidade, Fortalecimento Comunitário, Resistência Urbana, Defesa da criança e adolescente, Idoso, Segurança Alimentar, Revitalização Urbana, Comunicação Popular, Defesa do planeta terra

Nós somos mulheres negras urbanas de um território chamado ILHOTA em PORTO ALEGRE/RS.Nos anos setenta fomos despejadas sem aviso prévio para lugares distantes do trabalho e infraestrutura. Esta desgraça nos fortaleceu e algumas de nós resistiram e ficaram neste local.E da forma que conseguimos fomos sobrevivendo, abrigados embaixo de maricas, em casa de amigos,parentes e vizinhos.E hoje podemos dizer que reativamos está região. É aqui que as comunidades desejam ficar próximas do centro. Um lugar onde existe trabalho e a economia transita. O NOSSO PONTO busca resgatar a memória da história destas lutas por moradia digna.E proteger nossa herança afro-brasileira nossa cultura .Na ILHOTA viveu LUPICINIO RODRIGUES, a música, os ritmos de nossa ancestralidade necessitam ser ouvidos. Outra razão da existência do PONTO é tirar da invisibilidade as verdadeiras heroínas cuidadoras da nossa herança urbana de pertencimento social.Nossos projetos abrangem inúmeros temas: meio ambiente,saúde,geração de renda, arte, cidadania,afrodescedencia, DIREITOS HUMANOS.OPONTO DE CULTURA TERRITORIO ILHOTA preserva a arte urbana de viver de lutar de morar e de tocar os tambores da liberdade.

Ara Dudu

Ara Dudu

E-mail: coletivoaradudu@gmail.com
Fone: (55) 996810345

Rua Aparicio Borges,414
Chacara das Flores – Santa Maria-RS

Palavras-chave: Cultura Negra, Negritude, Afrobrasileiros, Pretas

No dia 21 de março do ano de 2014 a partir da vontade e reunião de artistas e produtores negros e negras surgiu o coletivo de Arte e Cultura Negra Ara Dudu com a proposta de desenvolver construção coletiva, estruturada a partir de uma equipe majoritariamente negra que trabalhasse com arte e produção de cultura negra . O nome Ara Dudu, na lingua africana yoruba quer dizer “corpo negro”. Um corpo que nasce com base na filosofia Ubuntu “Sou quem sou, porque somos todos nós!” Nestes contextos que nascemos e trabalhamos diariamente, focadas sobretudo na valorização desta população. Sendo reconhecidos como tulidade Publica do Municipio de Santa Maria via LEI Nº 6527/2021. A partir da nossa sede localizada na Comunidade Periférica Chacará das Floers nos espalhamos em vários espaços e ações, as quais inclusive tiveram apoio financeiro e aprovação em editais tais como: • Incubadora Social da Universidade Federal de Santa Maria-UFSM , até os dias atuais estamos desenvolvendo atividades em parceria com esta instituição, onde são desenvolvidas oficinas culturais de dança , artesanato e literatura e artes plásticas. • Muamba contra o racismo, machismo, lgbtfobia e intolerância religiosa- Um Carnaval onde os excluídos e excluídas viram musas e musos, rainhas e reis de uma corte, referências e inspiração. Mulheres, negros e negras, LGBTS sobem ao palco e apresentam sua arte. É noite de homenagem a nossas estrelas e difundir nossas lutas e nossas vidas da forma mais linda possível. Em 2018 a 3ª Edição desta Muamba recebe o Prêmio Nacional Culturas Populares 2018 – Edição Selma do Coco, do Ministério da Cultura, Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural. • Também Ganhador em 1º Lugar na Categoria Empreendedores de Empresas Incubadas na I Expo Ecoinovar 2018.

Filhos de Aruanda

Filhos de Aruanda

E-mail: instituto.aruanda@gmail.com

Apelles Porto Alegre, 60
Rio Grande

Palavras-chave: Cultura viva, Cultura Popular, Cultura Comunitária, Cultura Negra, Fotografia, Cultura Tradicional de Terreiro, Meio Ambiente, Cultura Afro, Cinema, Terreiros, Umbanda.

Primeiro o coletivo se chamou de Núcleo Cultural Aruanda, no fim de 2015 o nome foi mudado para Instituto Cultural Filhos de Aruanda, pois o coletivo achou que o nome de instituto dava uma importância maior e mais abrangente para o que estavam realizando. Os objetivos de nossos projetos estão alinhados com os 17 objetivos de desenvolvimento sustentáveis da agenda 2030 da ONU. Fundado em 18/05/2012 o Instituto Cultural Filhos de Aruanda -ICFA- desenvolve desde de então, um relevante serviço junto à comunidade rio-grandina o que o levou a ser certificado pelo Ministério da Cultura- MINC- como Ponto de Cultura com o nº 11873 em 19/10/2017, e também ser reconhecido como de utilidade pública pela câmara municipal de rio grande que aprovou por unanimidade através da lei nº 8231/2018 . A ênfase do ICFA é a cultura viva a educação, a solidariedade, o esporte , o meio ambiente e a defesa de direitos por que acreditamos que essas ações transformam vidas, levando crianças, jovens e adultos que vivenciam estas ações e projetos a se tornarem atores de suas histórias, formadores de opiniões e novas atitudes e que possam vir a atuar nas suas comunidades como multiplicadores que através da cultura, da educação e da solidariedade passam a fazer diferença em seus ambientes de vida. O Instituto atua também como uma instituição sem fins lucrativos organizada, para defender a cultura afrobrasileira, as culturas tradicionais, elaborando eventos e projetos sociais, culturais, educacionais, esportivos e assistenciais, tanto em parceria com o poder público, bem como com os nossos colaboradores, sempre como objetivo principal divulgar, promover, valorizar e defender essa diversidade cultural existente no brasil e no sul do país cujo a cultura afro-brasileira ajudou a desenvolver, e até hoje seus traços estão mais que inseridos no nosso dia-a-dia. Dentro do Instituto os associados e voluntários podem atuar em núcleos onde se sentirem mais à vontade, a divisão acontece para melhor atuação das pessoas em áreas onde elas têm experiência e podem melhor ajudar. Núcleo Cultural realiza e planeja ações e projetos culturais para crianças, adolescentes, adultos e idosos, em conjunto com os outros núcleos fazendo a transversalidade de assuntos diversos com toda a pluralidade da sociedade. Núcleo Saúde e Meio Ambiente, onde se planeja os projetos e ações desses temas; Núcleo Social ações, doações, campanhas de arrecadação toda forma de caridade e solidariedade são realizadas e pensadas aqui; Núcleo Esportivo e Educacional, para criação de ações de educação e projetos voltados ao esporte, onde a comunidade principalmente a infantil e jovem participam mais; Núcleo Tradicional e Religioso responsável por pensar todas as ações eventos e projetos voltados para os terreiros como um todo; Núcleo Rede instituto, geração de renda empregabilidade, economia criativa cooperativismo são as ações e projetos desse núcleo; Núcleo de Interação e Mídia responsável por toda a comunicação e redes sociais do Instituto, neste se desenvolve projetos com jovens e adultos sobre informática e redes sociais; Núcleo de Defesa de direitos, onde o Instituto ajuda terreiros, ONG’S, OSC e instituições a conseguirem seus documentos para se tornarem pessoas jurídicas legalmente constituídas.